Histórico

O Programa de Pós-Graduação em Música da UFBA (PPGMUS), que completou 25 anos em 2015, foi criado em 1990 como parte de um movimento cultural mais amplo, que o precedeu. Esse movimento resultou da visão do Reitor Edgard Santos e da criação das escolas de arte da Universidade Federal da Bahia na década de 50, com forte acento vanguardista. Em música, coube a Hans Joachim Koellreutter e posteriormente Ernst Widmer, a liderança nesses primeiros anos. Responde, assim, ao entrelaçamento de linhas que nortearam a própria criação e consolidação dos antigos Seminários de Música da UFBA (1954), tais como: a qualidade da execução, o desafio da criação e memória musical no Brasil, o compromisso com os processos de educação e a consciência da diversidade cultural baiana e brasileira.
 
A criação do Mestrado (1990) e Doutorado (1997) marca uma espécie de culminância desse processo que hoje ultrapassa seis décadas, e representa, de forma inquestionável, uma presença de destaque no meio acadêmico e artístico nacional, tanto pelo compromisso com a produção artística de qualidade, materializado pela presença ininterrupta em importantes eventos nacionais e internacionais, como pela contribuição ao desenvolvimento da pesquisa em música no país, pesquisa essa cuja consolidação é fruto, em muitos aspectos, da atuação pioneira de docentes do PPGMUS tanto em agências de fomento à pesquisa, em associações científicas nacionais e internacionais, ou como consultores e consultoras educacionais e editoriais em variadas instâncias.
 
Agrega, desde o início do Mestrado, quatro áreas de concentração — Composição, Execução Musical, Educação Musical e Etnomusicologia —, às quais se juntou a área da Musicologia, criada em 2009 e tendo sua primeira defesa realizada em 2012. O corpo docente do PPGMUS é formado atualmente por 18 docentes: Profas/es Ana Cristina Tourinho, Angela Lühning, Diana Santiago, Flavia Candusso, Guilherme Bertissolo, Heinz Schwebel, Helena Souza Nunes, Joel Barbosa, José Maurício V. Brandão, Laila Rosa, Lucas Robatto, Pablo Sotuyo, Paulo Costa Lima, Wellington Gomes e Wellington Mendes (15 permanentes) e Ekaterina Konopleva, Guilherme Maia e Marcos da Silva Sampaio (3 colaboradores/as) –  dentre os quais dois Bolsistas Produtividade do CNPq.